17.12.15

Dor de cabeça

voltar

A enxaqueca e os sentidos

A enxaqueca e os sentidos
As enxaquecas geram grande desconforto e podem até incapacitar algumas atividades rotineiras. Muitas pessoas já estão tão acostumadas a lidar com elas no dia a dia que nem param para refletir sobre o que pode estar desencadeando estas crises dolorosas. Um dos desencadeantes ou agravantes da conhecida enxaqueca são os fatores circunstanciais do meio externo que incomodam ou irritam nosso corpo, como  a luz, por exemplo ¹. 
 
Confira alguns fatores que podem ser desencadeantes ou agravantes das crises de enxaquecas! 
 
Fotofobia ou sensibilidade à luz
Fortemente associada aos acessos de enxaqueca, sendo uma das características levadas em consideração na hora do diagnóstico de enxaquecosos, a fotofobia pode ser tanto a causadora quanto o fator agravante da crise. A sensibilidade à luz costuma ocasionar uma alteração de humor e reclusão, levando ao incômodo intenso e uma aversão a todos os estímulos sensoriais¹. Por isso é bem comum que pessoas que sofrem com enxaqueca, principalmente durante as crises, procurem ficar no escuro ou evitem contato direto com a incidência de luz. 
 
Sensibilidade a ruídos
Super-relacionada às crises de enxaqueca, a também chamada fonofobia, é a intolerância aos sons, desde os ruídos altos até os baixos. Quando a pessoa está no meio de uma crise de enxaqueca é muito comum que barulhos causem irritabilidade e até mesmo acessos de fúria¹. 
A sensibilidade a ruídos faz com que até mesmo o pingar de uma torneira ou os passos de alguém pareça insuportável. Então, quando estiver próximo de alguém em crise de enxaqueca, já sabe: nada de barulhos!
 
Sensibilidade a odores
Uma das causas das enxaquecas ou um agravante para a dor já existente, é a sensibilidade a certos odores. A crise pode ser desencadeada pelos mais diferentes cheiros, desde flores e comidas até produtos químicos, como gasolina, água sanitária e ceras. Geralmente cheiros muito doces ou fortes têm este efeito sobre as pessoas, que sentem náuseas e dores de cabeça quando percebem estes odores¹.
Juntamente com a fotofobia e a fonofobia, a sensibilidade aos odores é uma das marcas das crises enxaquecosas, porém, em alguns casos, a pessoa já nasce com uma certa sensibilidade a um determinado odor, e quando este odor é percebido acaba gerando a crise¹.
 
Referência:
Lencina JR. Enxaqueca: uma doença incapacitante [Monografia]. Brasília: Centro Universitário de Brasília; 2003.